CIDADÃO DE BEM

Eu sou um cidadão de bem.

Hoje, voltando do trabalho, parei para uma velha atravessar na faixa de pedestres.

Só eu e ela. 

Ninguém pra testificar o mérito. 

Nós somos o que somos quando ninguém está vendo. 

Eu, com o nome em todas as instituições de restrição de crédito, parei para a velha passar sem que ninguém estivesse vendo.

Procurado pela polícia, parei para a velha passar sem que ninguém estivesse vendo.

Consumidor de substâncias vaso e psicoativas, parei para a velha passar sem que ninguém estivesse vendo.

Meu país está mudando e estou acompanhando a mudança.

Odeio minorias, odeio políticas de redistribuição de renda, tenho vergonha de nossas universidades, prezo pelo estado mínimo, por uma imprensa controlada e por uma política de relação unilateral com os Estados Unidos, onde eles entram com o ferro e a gente com a raba.

Eu sou um cidadão de bem.

Mesmo que ninguém tenha visto, parei para aquela velha lerda atravessar a rua. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *